© 2019 por Viagens da Júlia. Blog pessoal criado com Wix.com

  • Selo-ABBV-Blog-Associado-200-px
  • b-facebook
  • Instagram Black Round

O que fazer em Munique

Updated: Oct 26, 2019

[editado em 02/06/19] Com a chegada de outubro, chegam também as Oktoberfests e não poderia deixar de falar da cidade que sedia a principal: Munique, na Alemanha. A cidade, capital da Baviera, é muito mais do que isso e nesse post tento mostrar um pouquinho do que vi por lá.

Portão de Karlstor, antiga entrada da cidade

Visitei a cidade no mês de maio e para chegar no centro saindo aeroporto peguei um trem(recomendo!) Nele encontrei várias pessoas de roupas típicas e acabei descobrindo que existe uma ‘festa da primavera’ como se fosse uma Bierfest menor, tudo acaba em cerveja para eles ,rs.

Fiquei hospedada em um Ibis perto da Estação central . O local não eh dos melhores mas eh que nem todo centrão mesmo. Mas é bem localizado e não tive maiores problemas.

Marienplatz - Fonte: Júlia Almeida

De lá dava para ir andando para a Marienplatz meio que um marco zero da cidade, toda hora você vai passar por lá.


Pontos turísticos


Visitar a Marienplatz (a principal praça da cidade), dizem que subir na torre da igreja Peterskirche é uma boa pedida para se ter as vistas mais bonitas de Munique do alto mas não fui . Às 9:30 p.m. em alguns dias da semana têm a dancinha dos bonecos do relógio de carrilhão(da foto acima) que é interessante para quem gosta. Ir comer no Viktualienmarkt, ou beber(é a biergarten preferida do meu tio) , beber na Hofbrauhaus (não bebo,então pulei essa visita) , visitar o Residenz Museum (o maior palácio urbano da Alemanha, optei por não visitar quase nenhum museu por dentro ), são alguns dos passeios clássicos para se fazer por lá ...

Ao lado da Viktualienmarkt tem o Eataly que não é tão grande mas achei bem legal e uma boa pedida para comer também!


Se você curte um museu mais “interativo e moderno” vale visitar o Deutsches Museum, mais ao sul da cidade (o busão passa por lá também). Navios e aviões inteiros, muita física e engenharia estão nesse museu dedicado a tecnologia ao longo dos anos (não só da Alemanha). É bem grande então vale pegar o mapa do museu antes de entrar e selecionar quais exposições tem mais interesse(como boa nerd, escolhi a área de computadores!). 


Para facilitar ,pegamos um hop on hop off . Uma das paradas dele é no maior parque urbano de Munique e um dos maiores da Europa (maior ainda que o Central Park em Nova York!), o Englischer Garten. 

Para quem estava em Maxvorstadt, basta ir caminhando para chegar na entrada sul do parque e dar de cara com uma das atrações mais inesperadas para se ver em Munique: o Surfe no Eisbach, que é nada menos do que uma super onda criada artificialmente nesse rio que corta o parque. Em qualquer época do ano, faça chuva faça sol, com calor ou neve, sempre vai ter alguém lá surfando! É tão inesperado e impressionante acabou virando atração turística!

E antes que pergunte: infelizmente não dá para qualquer um surfar lá. O rio é muito raso e a correnteza forte então só pessoal treinado pode jogar (literalmente) sua prancha lá e “tirar uma onda”. 😉

Fonte: Júlia Almeida

Depois disso conheça o parque, que é bem agradável e bonito. Caminhe um pouco, tire fotos e aproveite para conhecer o Biergarten mais antigo de Munique: a Torre Chinesa, conhecida localmente como Chinesischer Turm, aberta desde 1791. Fica sempre cheia com tempo quente (não era o caso do dia que fomos), pela localização privilegiada bem no centro do Englischer Garten, e atrai todo tipo de público. É a parada ideal para quem quiser se refrescar e já emendar o happy hour com uma bela cerveja de 1 litro no parque! O pessoal lá gosta tanto que passamos por lá umas 10 da manhã,com frio, e já tinha gente com cabeça de cerveja enquanto a criança brincava no parquinho!


Um pouco mais afastado, mas que o busão turístico passou em frente foi o Parque Olímpico de Munique, construído para as Olimpíadas de 1972. É um complexo lindo, um exemplo até hoje de infra estrutura para um megaevento como as Olimpíadas (olha ai Rio 2016!), com pavilhões até hoje muito bem conservados e utilizados pela população. Dá para visitar a área da piscina, o estádio Olímpico (incluindo um tour lá dentro e subir na Torre Olímpica, que em dias de tempo aberto, tem uma visão única de Munique. Mas confesso que não fiquei muito interessada em conhecer não...

Fonte: Júlia Almeida

Lá do lado tem o BMW Welt (“O Mundo da BMW”) e para os fãs de carro: o museu da BMW. O primeiro é interessante para todo tipo de público, pois num prédio super moderno(há quem ache lindo, eu achei meio brega), ficam expostas as maiores novidades da empresa, além de possuir um restaurante e café simpático, loja temática e wifi grátis! Ligado por uma ponte, fica o museu da BMW, uma verdadeira “Meca” para todos os super fãs de carro já que é bem focado no desenvolvimento da linha de produtos da empresa ao longo dos seus mais de 90 anos .

Fonte : Júlia Almeida

Para quem tem curiosidade (e vontade), Dachau, o primeiro campo de concentração da Alemanha, fica facilmente acessível de Munique. Em pouco menos de 30 minutos você chega ao local e fica frente a frente a uma parte da história mundial que ninguém quer lembrar, mas que nunca poderá ser esquecida . Infelizmente, não deu para ir mas queria muito ter ido!

Para deixar o clima mais light a pedida  é visitar o Castelo de Nymphenburg, um bonito palácio imperial com belos jardins. Outro castelo que o busão passou em frente mas não deu para visitar.

Fonte: Júlia Almeida

Mais algumas fotos que tirei pela cidade quando estive por lá!


Blog De Viagem | Viagens da Júlia


Veja também

Dublin : entre duendes e trevos de quatro-folhas

Pontos Turísticos de Madrid

Leste Europeu: Planejando as férias #2